• Categorias
  • The Latest Style
  • Arquivos

Ultramaratonista carioca Mauro Chasilew participa da primeira edição da PT281+

O carioca Mauro Chasilew, de 46 anos, tem várias ultramaratonas no currículo, como todas as BR135, uma das principais provas de longa distância do Brasil, e uma participação na Badwater, no Vale da Morte, na Califórnia, nos Estados Unidos. O empresário começa a disputar, de amanhã até o dia 23. a primeira edição da PT281+, em Portugal, com 281km, que tem como fonte inspiradora justamente a BR135 e a Badwater.

Imagens das provas de Mauro Chasilew | Arquivo pessoal

O PULSO conversou com Mauro para saber como será essa ultra, que largará de Belmonte, local onde Pedro Álvares Cabral zarpou com sua esquadra para fazer o Caminho das Índias, e acabou batendo no Brasil,  em busca de aventura e superação, para chegar em Proença-a-Nova, passando por muitas aldeias portuguesas históricas.

PULSO: Você está viajando para a primeira edição da ulramaratona PT281+, em Portugal? Como você soube dela?

MAURO: Estava fuxicando o site da Brazil135 e vi um link para a prova de Portugal. Comecei a olhar e me pareceu muito bacana. Além disso, participar da primeira edição de uma prova é uma motivação a mais. Entrei em contato com a organização e quando vi… já estava inscrito.

PULSO: A PT281+ se diz inspirada na americana Badwater e na brasileira BR135. Você já participou das duas? Qual sua expectativa para essa prova portuguesa?

MAURO: Participei de todas as
desde 2007 e corri a Badwater em 2009. Aparentemente, pela altimetria e terreno, a PT281+ se parece mais com a BR. Segundo os organizadores, teremos muita área rural, estardes de terra e montanhas, muitas montanhas. A temperatura deve ser muito quente durante o dia e cair bem à noite. A umidade é um fator que merece atenção, pois estará abaixo dos 30%.

 

PULSO: Como você se preparou para essa prova?

MAURO: Como meu tempo para treinar está um pouco escasso, aproveitei para treinar nas idas e vindas para o trabalho. E usei a Body Tech para complementar musculação, treinos de subida e, claro, banho antes de ir para o tratalho.

PULSO: Você corre desde quando? O que te levou a correr? Por que ser um ultra? Quantas provas no currículo?

MAURO: Comecei nas Corridas de Aventura em 2003. Minha primeira ultra foi a BR135 de 2007. Descobri que gosto muito das provas longas em lugares interessantes e/ou inóspitos. A corrida permite uma boa observação das paisagens e seus detalhes. E, sendo muito longas, ainda dá tempo para um mergulho numa cachoeira ou uma pausa para o pôr do sol, além de um bom papo com os outros corredores. As experiências são muito enriquecedoras. Até agora, participei de umas 20 ultras com mais de 200km.

PULSO: Qual sua prova inesquecível? Por que?

MAURO: Acho que a primeira BR135 que corri. Era tudo novidade. Sou muito grato ao Mario Lacerda, organizador da prova, por ter aceitado meu currículo e dado a oportunidade de estar naquela prova inesquecível, que me abriu tantas novas oportunidades. Adorei também correr a Jungle Marathon, na Selva Amazônica e em Israel, onde tive a oportunidade de passar por sítios arqueológicos e em locais citados no Novo Testamento.

PULSO:  Alguma frustração em provas? Em qual? O que fez para superar esse momento?

MAURO: Não tenho frustrações nas provas. Imagino que cada uma delas é uma oportunidade única de novos desafios. O imponderável é parte das atividades ao ar livre. Lidar bem com isso é garantia de sucesso em qualquer empreitada, lembrando que o conceito de sucesso e fracasso é pessoal.

PULSO: Uma prova dos sonhos?

MAURO: Tenho visto umas provas que parecem inspiradoras: Himalaia, Vietnã, Escócia, Jordania (passando por Petra) e muitas e muitas outras.

PULSO: O que te motiva/inspira? 

MAURO: A sensação de liberdade. Poder sair por aí por um tempo que parece infinito. E perceber que essas atividades renovam nossas forças, retiram o pó e a craca que o dia-a-dia deposita nos nossos corpos e nos faz vibrar com alegria.

PULSO: Qual a próxima meta?

MAURO: A próxima meta é uma das máximas da Brazil135: “Divirta-se e mantenha-se sorrindo”. Ainda não tenho meu calendário fechado, mas pretendo estar na próxima Brazil135+ e, talvez, uma das provas que citei acima.

  • é professor de Educação Física e empresário. Participa de provas longas de corrida de aventura desde 2003 e de ultramaratonas desde 2007, entre elas, a corrida de aventura na Patagônia Chilena, com 1.112km. Mauro Chasilew

Você pode gostar

ME MACHUQUEI. E AGORA?

Recentemente, estava em casa, o telefone tocou e, quando me virei para atender, meu joelho ...

‘PESSOAS ORDINÁRIAS FAZENDO COISAS EXTRAORDINÁRIAS’

Em 2006 recebi um telefonema de meu amigo Adriano Seabra me convidando para fazer ...

Entrevista do ultramaratonistas Mauro Chasilew Na radio ebc

Bate-papo Ponto Com aborda a relação entre atividade física e o meio ambiente   ...