• Categorias
  • The Latest Style
  • Arquivos

Ultramaratonista carioca Mauro Chasilew participa da primeira edição da PT281+

O carioca Mauro Chasilew, de 46 anos, tem várias ultramaratonas no currículo, como todas as BR135, uma das principais provas de longa distância do Brasil, e uma participação na Badwater, no Vale da Morte, na Califórnia, nos Estados Unidos. O empresário começa a disputar, de amanhã até o dia 23. a primeira edição da PT281+, em Portugal, com 281km, que tem como fonte inspiradora justamente a BR135 e a Badwater.

Imagens das provas de Mauro Chasilew | Arquivo pessoal

O PULSO conversou com Mauro para saber como será essa ultra, que largará de Belmonte, local onde Pedro Álvares Cabral zarpou com sua esquadra para fazer o Caminho das Índias, e acabou batendo no Brasil,  em busca de aventura e superação, para chegar em Proença-a-Nova, passando por muitas aldeias portuguesas históricas.

PULSO: Você está viajando para a primeira edição da ulramaratona PT281+, em Portugal? Como você soube dela?

MAURO: Estava fuxicando o site da Brazil135 e vi um link para a prova de Portugal. Comecei a olhar e me pareceu muito bacana. Além disso, participar da primeira edição de uma prova é uma motivação a mais. Entrei em contato com a organização e quando vi… já estava inscrito.

PULSO: A PT281+ se diz inspirada na americana Badwater e na brasileira BR135. Você já participou das duas? Qual sua expectativa para essa prova portuguesa?

MAURO: Participei de todas as
desde 2007 e corri a Badwater em 2009. Aparentemente, pela altimetria e terreno, a PT281+ se parece mais com a BR. Segundo os organizadores, teremos muita área rural, estardes de terra e montanhas, muitas montanhas. A temperatura deve ser muito quente durante o dia e cair bem à noite. A umidade é um fator que merece atenção, pois estará abaixo dos 30%.

 

PULSO: Como você se preparou para essa prova?

MAURO: Como meu tempo para treinar está um pouco escasso, aproveitei para treinar nas idas e vindas para o trabalho. E usei a Body Tech para complementar musculação, treinos de subida e, claro, banho antes de ir para o tratalho.

PULSO: Você corre desde quando? O que te levou a correr? Por que ser um ultra? Quantas provas no currículo?

MAURO: Comecei nas Corridas de Aventura em 2003. Minha primeira ultra foi a BR135 de 2007. Descobri que gosto muito das provas longas em lugares interessantes e/ou inóspitos. A corrida permite uma boa observação das paisagens e seus detalhes. E, sendo muito longas, ainda dá tempo para um mergulho numa cachoeira ou uma pausa para o pôr do sol, além de um bom papo com os outros corredores. As experiências são muito enriquecedoras. Até agora, participei de umas 20 ultras com mais de 200km.

PULSO: Qual sua prova inesquecível? Por que?

MAURO: Acho que a primeira BR135 que corri. Era tudo novidade. Sou muito grato ao Mario Lacerda, organizador da prova, por ter aceitado meu currículo e dado a oportunidade de estar naquela prova inesquecível, que me abriu tantas novas oportunidades. Adorei também correr a Jungle Marathon, na Selva Amazônica e em Israel, onde tive a oportunidade de passar por sítios arqueológicos e em locais citados no Novo Testamento.

PULSO:  Alguma frustração em provas? Em qual? O que fez para superar esse momento?

MAURO: Não tenho frustrações nas provas. Imagino que cada uma delas é uma oportunidade única de novos desafios. O imponderável é parte das atividades ao ar livre. Lidar bem com isso é garantia de sucesso em qualquer empreitada, lembrando que o conceito de sucesso e fracasso é pessoal.

PULSO: Uma prova dos sonhos?

MAURO: Tenho visto umas provas que parecem inspiradoras: Himalaia, Vietnã, Escócia, Jordania (passando por Petra) e muitas e muitas outras.

PULSO: O que te motiva/inspira? 

MAURO: A sensação de liberdade. Poder sair por aí por um tempo que parece infinito. E perceber que essas atividades renovam nossas forças, retiram o pó e a craca que o dia-a-dia deposita nos nossos corpos e nos faz vibrar com alegria.

PULSO: Qual a próxima meta?

MAURO: A próxima meta é uma das máximas da Brazil135: “Divirta-se e mantenha-se sorrindo”. Ainda não tenho meu calendário fechado, mas pretendo estar na próxima Brazil135+ e, talvez, uma das provas que citei acima.

  • é professor de Educação Física e empresário. Participa de provas longas de corrida de aventura desde 2003 e de ultramaratonas desde 2007, entre elas, a corrida de aventura na Patagônia Chilena, com 1.112km. Mauro Chasilew

Você pode gostar

Entrevista do ultramaratonistas Mauro Chasilew Na radio ebc

Bate-papo Ponto Com aborda a relação entre atividade física e o meio ambiente   ...

Mauro Chasilew é destaque na imprensa israelense

Contribuição da correspondente Daniela Kresch, de Israel, para o Pulso. O maratonista brasileiro Mauro ...

ULTRAMARATONA: UMA QUESTÃO DE ESTRATÉGIA E LOGÍSTICA

“Fizemos, no fim do ano passado, na On The Rocks, um bate-papo sobre a PT281+, prova ...